Arlindo: Plano de governo

By | 18.2.15 Deixe seu comentário
Dogival Costa desfilou-se do Partido Libertador – PL e ingressou nas fileiras do Partido Social Democrático de Chico Souto. Esta aliança resultou na eleição de Arlindo Carolino Delgado para prefeito de Esperança em 1959.
“A Gestão de Dr. Arlindo Delgado, como administrador do município” – comenta o historiador João de Patrício em seu blog – “teve cunho de renovação político-administrativa, quando os destinos de Esperança eram confiados a um jovem advogado, filho da terra, de família tradicional, com nova visão administrativa, empregando esforços, no sentido de valorizar o servidor público municipal”.
Com essa visão empreendedora, realizou o gestor importante obras em nossa cidade, a exemplo do Mercado Público.
Em 1961, o prefeito e o deputado Chico Souto viajaram para o Rio de Janeiro para apelar às autoridades federais em prol do seu município, reiterando as pretensões formuladas pela União para o desenvolvimento do Nordeste.
Em contato com diversos ministérios, foram reivindicadas, entre outras, a instalação de um frigorífico para armazenamento da Batatinha, que à época era o principal produto da região, uma agência do Banco do Brasil, a conclusão das obras da BR-104 (Esperança-Campina Grande) e dos serviços de abastecimento d’água, extensão da rede elétrica na zona rural e a construção de escolas nos distritos de Areial e Montadas.
Oficialmente, as solicitações foram encaminhadas aos Ministros da Agricultura e Viação, e ao Presidente do Banco do Brasil, por intermédio do Deputado Federal Abelardo Jurema, objetivando soluções para os problemas locais, sem injunções ou artifícios políticos.
De fato – frisou o deputado Chico Souto – o município de Esperança tem sido vítima das ambições políticas sem que, até agora, nada de concreto ou objetivo tenha conseguido em favor dos reais interesses do povo. Estamos, agora, fazendo um esforço no sentido de recuperar o tempo já perdido com essas especulações, partindo da premissa de que a nova orientação nacional visa a arrancar o Nordeste do seu drama crônico de miséria”.
Esperança se destacava no cenário parahybano por sua posição privilegiada. Com mais de 25 mil habitantes, tendo a sede 2.545 prédios e 168 pontos comerciais, além de dois distritos, participava com uma grande fatia do mercado exportador do Nordeste.
Com este apelo, acreditavam os representantes locais ser possível equacionar as necessidades prementes de nossa terra.

Rau Ferreira

Referência:
- A UNIÃO, Jornal. Edição de 14 de maio. João Pessoa/PB: 1958.
- DIÁRIO DE NOTÍCIAS, Jornal. Edição de 05 de novembro. Rio de Janeiro/RJ: 1961.
- ESPERANÇA, Livro do Município de. Ed. Unigraf. Esperança/PB: 1985.
- IN MEMORIAM, Francisco Souto Neto. Governo do Estado da Paraíba: 1996.
- REVIVENDO ESPERANÇA, Blog. Editor João Batista Bastos. Disponível em: < revivendoesperancapb.blogspot.com>.


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: