Dogival Costa: Almoço dos Idosos

By | 31.5.14 Deixe seu comentário
Dogival Belarmino Costa
Dogival Costa foi um comerciante e político esperancense, que residiu na Rua Juviniano Sobreira, em frente a Escola Irineu Joffily.
Era uma pessoa que participava da vida social da cidade, juntamente com sua esposa Nevinha. O casamento matuto de antigamente, saia da sua residência [1].
E como cidadão se preocupava muito com as questões sociais, especialmente com os mais carentes.
Por tradição, sempre aos finais de ano, realizava o “Almoço dos Idosos”, em que oferecia uma ceia de natal para os velhinhos da cidade.
Nesta época, a casa era frequentada não só por velhinhos, mas por pessoas de todas as idades e todos eram bem acolhidos, tudo naquele espírito natalino.
Todos se alimentavam, mas não antes de fazer uma oração. E depois assistiam TV na sala. Ao final da festa, além do banquete que era oferecido, as pessoas ainda recebiam algumas lembrancinhas.
Muitas comidas eram preparadas no dia anterior, a exemplo dos frangos que recebiam os primeiros temperos.
Ao final da festa, além do banquete que era oferecido, as pessoas ainda recebiam algumas lembrancinhas.
As despesas saiam do próprio bolso de Dogival, que solicitou de sua esposa a continuação daquela comemoração mesmo após a sua morte.
Por alguns anos Dona Nevinha atendeu o pedido do marido, mas com o passar do tempo e as dificuldades financeiras ficou difícil manter a promessa.
Muito ainda lembram desses dias e são agradecidos a generosidade de Dogival Costa e família. Eu mesmo tive a oportunidade de participar dessa mesa farta que era oferecida na sua casa, servindo e ajudando os meus avós.
No detalhe da foto, vemos Dogival Costa (sentado), sua esposa Nevinha e a irmã Naza (em pé), Cícera (ao lado), e com as mãos no ombro do pai Elza, e do lado esquerdo sua neta Régia – Amoço dos Idosos, 1965.
Somente agora, 30 anos após a sua morte, trazemos à lembrança este ato de bondade. Talvez ele não aprovasse a sua divulgação, mas o faço em reconhecimento a sua memória.

Rau Ferreira

[1] Livro do Município, p. 67.

Referências:
-         Livro do Município de Esperança, Ed. Unigraf, 1985, p. 67;

-         Arquivo pessoal e familiar.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: