Pular para o conteúdo principal

Escritor esperancense é empossado membro da ALCG

Foto oficial do evento
Em solenidade conduzida pelo presidente da Academia de Letras de Campina Grande, nesta sexta-feira (17), o escritor esperancense Rau Ferreira foi empossado como membro efetivo da academia. Ele ocupou a cadeira de número 35 que tem como patrono o conterrâneo poeta Silvino Olavo. O evento foi bastante prestigiado e contou com a presença de autoridades, amigos e familiares.
Entre os quais, os ex-prefeitos de Esperança João Delfino Neto e Anderson Monteiro e dos membros da Loja Maçônica de Esperança “Dogival Costa”, intitulada com o nome do avô do escritor, que prestaram uma homenagem ao mais novo integrante da casa das letras de Campina.
Muitos dos seus confrades também não pouparam elogios ao escritor, poeta e historiador Rau Ferreira. “A ALCG, realmente, o recebe de braços abertos. Ganha muito, pois, esta casa com a sua chegada, até porque ele está somando conosco. Inteligente, educado e sóbrio, ele fará um bom trabalho neste templo da intelectualidade da Rainha da Borborema. Demonstrou prestígio e o quanto é admirado por todos que o conhece”, disse o Dr. Evaldo Nóbrega, membro tesoureiro da academia e presidente da Associação Médica Campinense.
Em seu discurso de posse, o Novel Acadêmico fez um retrospecto de sua atividade literária, além de um pequeno resumo biográfico do seu patrono e daqueles que lhe antecederam naquela Cadeira de nº 35, encerrando com um inédito poema de Silvino Olavo. 
O Professor José Mario da Silva, avaliou da seguinte forma:
Muito belo, o seu discurso de posse, caro Rau Ferreira, reconstituindo, nos pormenores mais significativos, a exponencial figura de Silvino Olavo, um dos mais autênticos homens de letras de nossa Paraíba e de nosso continental Brasil. Honrou-me sobremaneira a inserção, em seu discurso de posse, dos juízos críticos que expendi sobre o atemporal Silvino Olavo. Muito agradecido por sua generosa deferência. Ontem à noite, ao ministrar inadiável aula na Universidade Federal de Campina Grande, mais precisamente sobre crítica literária, enviei, por meio minha aluna Jailda, que é esperancense e que o conhece, abraços para o amigo, acumpliciados à renovação do meu jubilo por sua investidura no empíreo da imortalidade acadêmica”.
O escritor e acadêmico, Rau Ferreira aproveitou para lançar durante a solenidade seu mais novo livro: “Silvino Olavo: Outras Histórias”. Com esse já são catorze livros publicados pelo autor. Rau Ferreira foi eleito para ocupar o posto no último dia 15 de setembro.
TRABALHOS REALIZADOS:
 ● Prefaciador da biografia  do Coronel  ELYSIO SOBREIRA, patrono da PMPB (Edições  Lyrio  Verde: 2010), com dois capítulos publicados naquela  obra.
● Prefaciador da biografia  do Coronel  ELYSIO SOBREIRA, patrono da PMPB (Edições  Lyrio  Verde: 2010), com dois capítulos publicados naquela  obra.
● Editor do blog HISTÓRIA ESPERANCENSE. disponível em http://www.historiaesperancense.blogspot.com.br/, desde 2009.
● Diversos artigos publicados no blog  RETALHOS HISTÓRICOS DE CAMPINA GRANDE, editado por Emmanuel Souza, disponível em http://cgretalhos.blogspot.com.br/.
● Editor do jornal “A Arcádia”, de história local, e coeditor do Lautriv Mitelob – Magazine Cultural de Esperança, publicações digitais disponíveis na rede mundial de computadores.
LIVROS PUBLICADOS:
● CAFÉ c/ Livro. Divagações filosóficas. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2009.
● CÂNTICO DO CYSNE. Poesias. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2009.
● SOLÍSTICOS. Poesias. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2010.
● SOLIDÁRIO c/ DIREITO. Jurídico. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2010.
● SILVINO OLAVO. Epgraf. Campina Grande/PB: 2010.
● JOÃO BENEDITO: O CANTADOR DE ESPERANÇA. Copiadora União. Esperança/PB: 2011.
● RELATOS DE CAMPINA. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2012.
● 45 NOTAS DE HISTÓRIA: RECORTES DE ESPERANÇA-PB. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2015.
● SÍNTESE HISTÓRICA DA COMARCA DE ESPERANÇA. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2016.
● BANABOÉ CARIÁ: RECORTES DA HISTORIOGRAFIA DO MUNICÍPIO DE ESPERANÇA. A União. Esperança/PB: 2016.
● AS RAZÕES DO NÉGO PARAHYBANO. Org. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2017.
● AS AVENTURAS DE PEDRO PICHACO: O CRIATIVO IMAGINIÁRIO POPULAR. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2017.
● SILVINO OLAVO: OUTRAS HISTÓRIAS. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2017.
As obras acima citadas encontram-se hospedadas para venda nos formatos impresso e ebook no site https://www.clubedeautores.com.br/ e nas livrarias participantes.
REDAÇÃO com arquivos de Rau Ferreira
Blog do Cleude Lima, disponível em:
Publicado em 20/11/2017.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menor capela do mundo fica em Esperança/PB

A Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro está erigida sob um imenso lajedo, denominado pelos indígenas de Araçá ou Araxá, que na língua tupi significa “lugar onde primeiro se avista o sol”. O local em tempos remotos foi morada dos Índios Banabuyés e o Marinheiro Barbosa construiu ali a primeira casa de que se tem notícia no município, ainda no Século XVIII. Diz a história que no final do século passado houve um grande surto de cólera causando uma verdadeira pandemia. Dona Esther (Niná) Rodrigues, esposa do Ex-prefeito Manuel Rodrigues de Oliveira (1925/29), teria feito uma promessa e preconizado o fim daquele mal. Alcançada a graça, fez construir aquele símbolo de religiosidade e devoção. Dom Adauto Aurélio de Miranda Henriques, Bispo da Paraíba à época, reconheceu a graça e concedeu as bênçãos ao monumento que foi inaugurado pelo Padre José Borges em 1º de janeiro de 1925. A pequena capela está erigida no bairro da Beleza e sua entrada se dá pela Rua Barão do Rio Branco. Nele encont…

Esperança caminha para instalação do seu instituto histórico e geográfico/ IHGE

Em reunião deliberativa autoridades, intelectuais, poetas, acadêmicos e algumas das principais instituições ligadas à história e à cultura de Campina Grande e Esperança, estiveram em reunião, na tarde desta quinta-feira (14/12), no Centro Cultural e Biblioteca “Dr. Silvino Olavo”, em torno do ideal da fundação do IHGE – Instituto Histórico e Geográfico de Esperança. A ideia que surgiu em 2014, volta a ser discutida pela sociedade esperancense, na perspectiva de resgate da memória local, com o apoio dos Institutos Paraibano, representado pela Dra. Maria Ida Steinmuller, Campinense (Edmilson Rodrigues) e de Serra Branca, na pessoa do Prof. Thomas Bruno Oliveira (IHGP, IHCG e IHGSB),  Nuphel – Núcleo de Pesquisa e História Local/UEPB, pelo Professor Flávio Carreiro, Fórum Independente de Cultura de Esperança, com o ativista Evaldo Brasil (FIC) e da Sociedade Parahybana de Arqueologia (SPA), através do escritor Vanderley de Brito. Participam ainda o Secretário de Educação do Município, pa…

Antiga Capela do Cemitério

A ampliação do cemitério público acontecida há alguns anos fez desaparecer a antiga capela que existia no centro deste Campo Santo. Muitos ainda se lembram daquele galpão dedicado as orações, onde se acendiam velas às almas. Não era muito grande, mas o suficiente para se encomendar o corpo com as exéquias. Ali se encerrava o cemitério, existindo poucas covas por trás daquele edifício e em sua volta, por onde se passava com dificuldades. Até 1930 a administração do cemitério era atribuição da igreja, por ter sido por esta construída, segundo a tradição, no final do Século XVII por obra do missionário Padre Ibiapina para enterrar as vítimas da cólera. Através do Ofício nº 70, de 17 de dezembro de 1930, em ordem ao Decreto Estadual nº 29 do mesmo mês e ano, que direcionava às prefeituras municipais todos os cemitérios existentes no Estado, solicitava o Vice-prefeito Inácio Rodrigues de Oliveira da autoridade eclesiástica local as chaves do cemitério. Foram entregues à edilidade não apenas…