Pular para o conteúdo principal

SOL: Pela ordem

Reportagem Especial

Em 1926 noticiava A União o avanço da Coluna Prestes na Paraíba. Os fatos, por esta folha, foram denominados sob o título geral “Pela Ordem e Contra a Revolta”, que se seguiram durante vários dias a partir do dia 05 de fevereiro daquele ano.
A nota tomou grande espaço na primeira página, e pode ser resumida assim em seu primeiro parágrafo:
Como é de domínio público,os rebeldes, ao mando de Prestes, Siqueira Campos e outros, rechachados no Maranhão e Piauí, internaram-separa Estado do Ceará, e, depois de uma série de correrias, ataques e sortida, rumaram para as fronteiras da Paraíba e Rio Grande do Norte” (A União: 5/02/1926).

A estes acontecimentos seguiram-se inúmeros votos de solidariedade ao chefe do executivo paraibano, que se empenhou na luta tendo o apoio militar do Cel. Elysio Sobreira, comandante da Força Policial.
A comunidade de Esperança, além deste filho ilustre, externava os seus préstimos. Anote-se daquele jornal “os aplausos e testemunhos de solidariedade recebidos pelo chefe do governo”, como se vê do telegrama seguinte:
Esperança, 7 – Caso necessite serviços ofereço pequenos préstimos defesa Estado e legalidade – Arthur Sobreira” (A União: 9/02/1926).

O cotejo que segue diz respeito ao discurso do Dr. Silvino Olavo, grande amigo do Presidente Suassuna, se confraternizando com o seu governo neste embate.
Feitas estas considerações, apresentamos pois a publicação da época:

Discurso parcial do Dr. Silvino Olavo da Costa

“(…) Senhor presidente – Se a forma de nossa Constituição implicasse uma solução desse problema, estamos cientes que estas fórmulas não garantiriam.
Precisamos de homens decididos como vossa exc., de homens que sabem respeitar a soberania que está nos canones da Constituição.
A mocidade vem hipotecar-vos toda a sua solidariedade.
Ela está conscienciosamente convencida que é pela energia que se há de levar à frente esta grande obra.
Essa mocidade está disposta a cingir as armas.” (Silvino Olavo).

A fala foi muito aplaudida e ao final o dr. Silvino Olavo uma mensagem ao dr. João Suassuna, que agradecendo o gesto enalteceu as qualidades do orador nestes termos:
“(...) Muito obrigado por esta manifestação eloquente e cordial, prestada com o concurso da palavra que acaba de nos encantar, repassada no vigor de uma mocidade em plena florescência, iluminada para um talento de escól e o que é mais para admirar, cheia de senso e ensinamentos, a propósito dos problemas mais graves de um povo.”.

Silvino privava do convívio com a família SUASSUNA, a quem em oportunos momentos sempre recitava o poema ÍCARO, dedicado ao amigo.

Rau Ferreira

Fonte:
- A UNIÃO, Jornal. Órgão oficial do Estado da Paraíba, edições de fevereiro de 1926. Parahyba do Norte: 1926;
- FERREIRA, Rau. Silvino Olavo. Esperança/PB: 2010.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menor capela do mundo fica em Esperança/PB

A Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro está erigida sob um imenso lajedo, denominado pelos indígenas de Araçá ou Araxá, que na língua tupi significa “lugar onde primeiro se avista o sol”. O local em tempos remotos foi morada dos Índios Banabuyés e o Marinheiro Barbosa construiu ali a primeira casa de que se tem notícia no município, ainda no Século XVIII. Diz a história que no final do século passado houve um grande surto de cólera causando uma verdadeira pandemia. Dona Esther (Niná) Rodrigues, esposa do Ex-prefeito Manuel Rodrigues de Oliveira (1925/29), teria feito uma promessa e preconizado o fim daquele mal. Alcançada a graça, fez construir aquele símbolo de religiosidade e devoção. Dom Adauto Aurélio de Miranda Henriques, Bispo da Paraíba à época, reconheceu a graça e concedeu as bênçãos ao monumento que foi inaugurado pelo Padre José Borges em 1º de janeiro de 1925. A pequena capela está erigida no bairro da Beleza e sua entrada se dá pela Rua Barão do Rio Branco. Nele encont…

Esperança caminha para instalação do seu instituto histórico e geográfico/ IHGE

Em reunião deliberativa autoridades, intelectuais, poetas, acadêmicos e algumas das principais instituições ligadas à história e à cultura de Campina Grande e Esperança, estiveram em reunião, na tarde desta quinta-feira (14/12), no Centro Cultural e Biblioteca “Dr. Silvino Olavo”, em torno do ideal da fundação do IHGE – Instituto Histórico e Geográfico de Esperança. A ideia que surgiu em 2014, volta a ser discutida pela sociedade esperancense, na perspectiva de resgate da memória local, com o apoio dos Institutos Paraibano, representado pela Dra. Maria Ida Steinmuller, Campinense (Edmilson Rodrigues) e de Serra Branca, na pessoa do Prof. Thomas Bruno Oliveira (IHGP, IHCG e IHGSB),  Nuphel – Núcleo de Pesquisa e História Local/UEPB, pelo Professor Flávio Carreiro, Fórum Independente de Cultura de Esperança, com o ativista Evaldo Brasil (FIC) e da Sociedade Parahybana de Arqueologia (SPA), através do escritor Vanderley de Brito. Participam ainda o Secretário de Educação do Município, pa…

Pesquisador do IHGE encontra documento histórico

O pesquisador Ismaell Filipe, sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Esperança - IHGE, encontrou recentemente alguns documentos que datam de 1851, e que fazem alusão à origem do nosso Município. Trata-se de dois registros, para ser mais exato, de casamento, realizados no lugar denominado “Sítio Banabuié”, em casa de Severino de Medeiros Lima, cerimônia realizada pelo vigário José Antunes Brandão, pároco de Alagoa Nova. As buscas ocorreram junto aos arquivos paroquiais do Município de Alagoa Nova e constituem um marco divisório da nossa história. De fato, esta foi a denominação adotada, desde a concessão da Sesmaria de Banaboié e Lagoa de Pedra (1713) e que perdurou até 1870, quando então foi alterado para “Boa Esperança”. Segundo registros Ultramarinos existentes na Torre do Tombo em Portugal, este sítio ficava à beira de um açude, que em nossa opinião seria o reservatório do Araçá. O confrade Gilson Santiago, em conversa informal com o editor deste blog, certa feita, destacou que …