Pular para o conteúdo principal

Homenagem à Nené Barbosa

Nené Barbosa
Hoje presto homenagem a uma pessoa simples, um agricultor que fez parte da história deste Município: Manuel Barbosa da Silva, conhecido por Nené.
Os mais antigos devem lembrar de seu Nené que era muito requisitado por políticos para falar em seus discursos.
Nené gostava muito de ler versos, e por inspiração também escrevia as suas rimas. Católico fervoroso, tinha muitas amizades em Esperança, a exemplo de Diogo Batista, Didi de Lita, Mané Galego, Everaldo e Pretinho Cavalcante. Cantava na rua, fazia seus poemas e alegrava os corações.
Em contato com os familiares de Zé Miúdo, na pessoa de Júnior, consegui resgatar um de seus trabalhos, escrito por ocasião da última visita de Frei Damião à Esperança:



“Esperança – 17-4-78

Esperancense você desperte
Com alma e vida e coração
Vamos todos reunidos
Até a pé da conversão
Como estava prometido
E mesmo assim foi chegado
O nosso Frei Damião.

Todas as autoridades
Com sua emergência
Prestando grande homenagem
Todas com obediência
Até chegar nosso pastor
Como o rei da ciência.

Frei Damião de Bozano
O primeiro sem segundo
Estando dentro de Esperança
Com seu saber profundo
Só parecia São Pedro
Quando pregava no mundo.

Esperança se achava
Com uma grande alegria
Com uma grande multidão
Na tarde daquele dia
Todos ficaram abismados
Com aquela romaria.

Gente de toda a parte
Até do sul do país
Estavam todos reunidos
Lá na frente da Matriz
Para assistir a missão
Julgando ser mais feliz.

Nosso Monsenhor Palmeira
Junto com seus secretario
Trabalhando dia e noite
Até pé do confessionário
Com sua equipe de padre
E uns dois missionário.

Gente de toda parte
Do brejo até o sertão
Os nossos frades chamando
Até pé da confissão
Para ver si assim tem jeito
O caminho da salvação.

E esta tão grande missão
Para nós foi um espelho
Abalando o povo em massa
Com o som daquele aparelho
Chamando o povo em massa
A Virgem do Bom Conselho.

Assim meus caros amigos
Já fiz minhas saudações
Já não vamos esquecer
As Santas Missões
Que tanto vai abalar
Nossos pobres corações.

17 de abril
Já não se esquecerei
Em que todos esperava
A vinda do nosso frei
Trazendo as santas palavras
De Cristo que é nosso rei.

Aqui vou terminar
Com lágrimas sentimentais
Uma saudade sem fim!
Do meu coração não sai
Aqueles dias felizes
Não esquecerei jamais.

Nené nasceu em 1923 e deixou saudades em 27 de março de 2005.


Rau Ferreira

Comentários