João da Retreta

By | 29.12.14 Deixe seu comentário

Encerramos o ano de 2011 comos versos de João da Retreta, pseudônimo atribuído a Silvino Olavo, ensaiandouma poesia que se diz modernista:

Nove horas... Acorneta
Soa longe os sons fatais... Finda a retreta...
Ela passou... Deu commeu vulto esquivo.
Com um olhar rápido evivo
Iluminou-me todo e...passou...
Nunca soube que aamei, porque nunca me amou.

O blog HE deseja atodos um feliz ano novo cheio de realizações. Retornaremos nossas atividades em2012. Que este ano venturoso nos traga algo além em termos de apoio cultural.

Rau Ferreira 


Fonte:
- ERA NOVA, Revista. ImprensaOficial. Edição de 01 de maio. Parahyba do Norte: 1925.
- JOFFILY,José. Anayde Beiriz: paixão e morte na Revolução de 30. Ed. CBAGEditora: 1980.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: