Frigorífico de Esperança (Parte I)

By | 14.1.16 Deixe seu comentário
Esperança despontava como a maior produtora de batata inglesa, exportando o produto para diversas praças. Mas os produtores sofriam com a entressafra, os preços oscilantes do mercado e a falta de sementes. Surgiu a necessidade de se implementar um frigorífico para abarcar a produção.
O prefeito Luiz Martins havia sido convocado pelo Deputado Waldir dos Santos Lima para juntos encaminharem a José Carlos - diretor do DEMA -, o projeto de construção de uma unidade de conservação, com capacidade de 800 toneladas.
O seu objetivo era manter sob condições de resfriamento, batatinhas-sementes, garantindo o padrão das sementes, o que beneficiária, por muitos anos, cerca de 600 produtores rurais.
Esta era uma antiga aspiração. Há 15 anos atrás muito se empenhara o Ex-Deputado Estadual Chico Souto. Nesse aspecto, já havia viajado o político esperancense, em companhia do então prefeito Arlindo Delgado, para angariar junto às autoridades federais essa edificação. Em maio de 1976, o sonho começava a se tornar realidade.
O pleito contou ainda com o apoio do governador Ivan Bichara e Senador Domício Gondim. O investimento estava na ordem de Cr$ 10.000.000,00 (dez milhões de cruzeiros), cabendo apenas ao Município a contrapartida de doar um terreno.
A área escolhida foi na PB 121, km 02 (saída para Areial), adquirido pela importância de Cr$ 80.000,00 (oitenta mil cruzeiros).
A construção provinha de recursos do Polonordeste, sendo composto por três câmaras refrigeradoras e infraestrutura de apoio (duas casas residenciais), ocupando um espaço de 270m2.
A inauguração aconteceu três anos depois, em 1979.

Rau Ferreira

Referência:
- BORBOREMA, Diário da. Jornal. Edição de 28 de maio. Campina Grande/PB: 1976.

- FERREIRA, Rau. 45 notas históricas: Recortes de Esperança. Ebook. Edições Banabuyé. Esperança/PB: 2015.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: