O ciclo da batatinha em Esperança

By | 18.2.15 Deixe seu comentário
Parte II

Dando continuidade ao nosso trabalho sobre o ciclo da batatinha em Esperança, destacamos a sua importância no cenário nacional.
A esse respeito, manifestava o Sen. Francisco Duarte Lima a necessidade de se programar cooperativas agrícolas para fomentar a produção de gêneros alimentícios no Brasil, destacando a experiência inovadora que aconteceu em nosso Cidade:

O Município de Esperança, na zona do agreste, foi o primeiro a iniciar o plantio de batatinhas. Acontecia, porém, que a produção excedente do consumo local caia nas mãos vorazes dos atravessadores ou ficava estagnada, sem resultados compensadores, para o agricultor.
Há pouco mais de um ano surgiu ali a primeira cooperativa e o resultado não se fez esperar. Todos os processos foram renovados desde o plantio até a venda. Fez-se a seleção da semente, a preparação da terra por meios mecânicos, a classificação dos tipos, melhorou-se a embalagem e, finalmente, procurou-se diretamente o mercado. O resultado é que um quilo de batatinha está rendendo mais ao produtor do que outrora rendia uma arroba!”(Diário Carioca: 08/04/1936).

Com efeito, Joaquim Virgolino e seu irmão Heleno Henriques fundaram em 1934 uma Cooperativa Agrícola que serviu de modelo para o Estado, que adquiriu sede própria em 1945.

Rau Ferreira

Fonte:
- PARAHYBA, Anuário da. Volumes 1-3. Ed. Imp. Oficial. João Pessoa/PB: 1934.
- A UNIÃO, Jornal. Estado da Paraíba. Edições de 10/07/1928 e 08/06/1945.
- DIÁRIO CARIOCA, Jornal. Edição de quarta-feira, 08 de abril. Rio de Janeiro/RJ: 1936.


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: