Contrição (Silvino Olavo)

By | 24.12.14 Deixe seu comentário
Bem sei quanto o pecado em min, Senhor,
Fez-se excessivamente pecador!

A carne é triste! E, quando a carne pede,
Nossas alma humana quase sempre cede...

Deste-me agora esta filosofia
Que, da fusão da Dor e da Alegria,

Sabe extrair, sem Dúvida e Ansiedade,
A água divina da Serenidade.

Fonte do Mal, em que bebi venenos,
A Vida, hoje, me dá fluídos serenos.

Para que eu traga em versos e canções,
Consolo a alma dos tristes e dos bons!

Louvado seja nome do Senhor!

Silvino Olavo


In: Revista de Língua Portuguesa, Volume 9 - Edição 51, Ed. União Editora: 1928, p. 122/126.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: