Esperança: achados arqueológicos

By | 31.5.14 Deixe seu comentário
Inscrições rupestres de Lagoa de Pedra (Revista SPA, N. 34)
Na cidade de Esperança, no interior da Paraíba, podem ser observados registros pré-históricos de outras civilizações (civilizações antigas ou então pré-históricas) em dois sítios da região: Lagoa de Pedra e Caldeirão.
Em Lagoa de Pedra, distante cerca de 5km da sede do município, existem inscrições rupestres (pintadas) gravadas em um grande paredão. O painel mede 1,28 x 1,29 cm e é composto de formas esquemáticas de possíveis zoomorfos em tom de vermelho e fica próximo ao tanque de onde foram retirados na década de 90 fósseis de animais pleistocênicos por pesquisadores da UFPB.
Enquanto que na localidade Caldeirão registra-se uma importante Itacoatiara sob a técnica da meia-cana, cujas gravuras muito se assemelham as da Pedra do Ingá. O local é privilegiado pela natureza e possui uma cachoeira e um riacho, afluente do Rio Mamanguape.
Além dos achados pré-históricos e das belezas naturais, os dois sítios possuem a vegetação nativa relativamente preservada, reunindo condições necessárias para o estudo (arqueo-paleontológico, pois refere-se a estudos de arqueologia – vestígios humanos, no caso os sítios; e paleontologia – vestígios de animais extintos) e a prática do ecoturrismo.
Nos sítios Pintado e Pedra Pintada também há evidências dessas civilizações. Em 1993, durante os trabalhos da “emergência” foram encontradas pela Emater penelas de barro e grandes ossadas nesses dois locais.
E até o centro desta cidade guarda seus mistérios. Em 1997 ao se reformar um depósito na Rua José Andrade, as escavações descobriram ossadas de uma preguiça gigante (Eremotrerium Laurilardi) que datam de oito mil anos atrás, e outras indicam pertemcerem ao “Haplomastodon Larigi”, um parente distante do elefante, e ao “Hoplophorus Euphractus”, antecendente do tatu. Os levantamentos foram feitos por uma equipe da UFPB e publicados na Revista da Esperança.
Na foto detalhamos os achados de Caldeirões e Lagoa de Pedra.

Rau Ferreira

Referências:
-         Boletim Nº 16 da SPA – Sociedade Paraibana de Arqueologia, Campina Grande: Dezembro de 2007;
-         Boletim Nº 34 da SPA – Sociedade Paraibana de Arqueologia, Campina Grande: Maio de 2009;
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: