Beijo do amor divino

By | 27.5.14 Deixe seu comentário
Eu quando ind’era menino
Recebi um beijo da amada
Um beijo leve e fino
Numa noite enluarada.

Ouvi um toque de sinos
E luzes mui encantadas
Quis assim o destino
Que ela fosse falada.

Cai em pleno desatino
A minha musa destronada
Corri de sol a pino
Por mim não acreditava.

Todos de mim sorrindo
E eu sofrendo, calava;
Nenhum dia era bem-vindo
Nenhum deles me falava.

E a consciência foi fugindo
E a vida me levava
O sol de novo surgindo
Aquela noite assim acabava.

Hoje vejo o tempo findo
Daquelas coisas passadas
O beijo do amor divino
Da primeira namorada.


Rau Ferreira
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: