Elisio Sobreira no combate ao cangaço

By | 14.5.11 Deixe seu comentário
Reportagem Especial

O Comandante Elysio Sobreira estava a frente da Força Pública da Paraíba em 1925 e fazia o combate ao movimento denominado “Cangaço”, cujo expoente a nível nacional era conhecido por Lampião.
Natural de Espeança/PB, Elysio Sobreira de Carvalho nasceu em 1878 e faleceu em 1942. O Governador à época - Dr. João Suassuna - confiara-lhe esta missão, ressaltando que o Coronel tinha “mãos firmes e claro conhecimento da vida da corporação”.
A Companhia, sob as ordens do esperancense, era auxiliada pelo Capitão Irineu Rangel de Farias, que assumiu a fiscalização do 2° Batalhão Militar.
Sobreira passou então a visitar pessoalmente a sede dos destacamentos paraibanos, inteirando-se das necessidades da tropa e sugerindo providências a bem do Estado, “sempre com muita clareza, inteligência e economia”, disse o governante.
O plano de defesa do território paraibano engendrado pelo governador com o apoio do Coronel Sobreira contava com 1.200 soldados dos quais 400 homens guarneciam toda a região do Rio do Peixe [Cajazeiras, Souza, São João e Belém]. Com isso foi possível salvar de saques essas vilas, com exceção da de Piancó a cuja direção tomou o inimigo deixando um rastro de desordens. Eis o registro segundo a grafia do seu tempo:
Na Villa de Piancó, além do saque e arrombamento de todas as casas commerciaes e particulares, foi inteiramente derramado, com a perfuração das respectivas latas, um depósito de gazolina de uma das referidas companhias, confiado ao estabelecimento do Sr. Sebastião Dantas” (SUASSUNA: 1926).

Na aludida municipalidade foram queimados o Paço da Prefeitura, a Agência dos Correios e a Mesa de Rendas, além da residência do tabelião Paizinho Azevedo. O comércio foi pilhado, sendo atingido ainda a povoação de Sant’Ana dos Garrotes. Tombaram em combate 23 civis e duas praças além do Padre Aristides Ferreira.
Mas o Estado não se deixou abater e seguindo as orientações do Comandante da Força Policial empreendeu grandes vitórias contra a horda de invasores. Na luta armada entre Pombal e Souza caíram em torno de 40 cangaceiros e 10 foram feitos prisioneiros, sendo os demais obrigados a penetrar em Pernambuco por Navio e Moxotó, em vez de dirigirem-se a Villa Bela.
Inácio Gonçalves de Souza, biógrafo do militar esperancense, anota em sua obra que “O Coronel Elísio Sobreira esteve sempre a frente dos serviços, pondo em prática as suas valorosas táticas e estratégias, com altivez, segurança e moral elevada” (SOUZA: 2010).
Acrescenta ainda o escritor a importância da atuação do comandante contra o cangaço na Paraíba:
(...) eram momentos de muita tensão e medo por todo o interior do Estado, sobretudo, no Sertão e Cariri. Nestas íngremes regiões e micro-regiões, o valoroso Alfares adquiriu o seu merecido conceito e, outras incumbências lhes foram confiadas em defesa da paz e da ordem pública. Sempre efetivando a sua maestria e sapiência, este impávido esperancense honrou com veemência e prontidão a sua Corporação, com lealdade, coragem e muita disciplina”.

O telégrafo funcionava dia e noite com as notícias que seguiam do Sertão. E a par de tudo, o governador enviava as suas instruções ao seu ordenança pessoal, creditando parte do sucesso desta guerrilha ao valoroso Coronel Sobreira. Em mensagem à Assembléia do Estado, finaliza o chefe do executivo nestes termos:
Esta corporação, dividida hoje em dois batalhões, continua a prestar, sob a direção do Tenente-coronel Elysio Sobreira, os melhores serviços ao Governo do Estado.
Além da dedicação com que mantém a ordem pública, fructo em grande parte da vigilância e disciplina da polícia militar, foi ella, decidida como sempre, um dos elementos com que me achei no combate aos rebeldes”.

Por sua bravura além desses e outros feitos relevantes é que Elysio Sobreira de Carvalho tornou-se o Patrono da Polícia Militar na Paraíba (Decreto nº 1.238/57), sendo-lhe dedicado o dia 20 de agosto para as comemorações da Corporação a que serviu por longos 35 anos.

Rau Ferreira

- ESPERANÇA, Livro do Município de. Ed. Unigraf. Esperança/PB: 1985;
- SOUZA, Inácio Gonçalves de. Coronel Elísio Sobreira: do heroísmo ao patronato. Idealgraf: 2010.
- SUASSUNA, João. Mensagem à Assembléia Legislativa do Estado da Paraíba. Parahyba do Norte. Imprensa Official: 1926.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: