Felicidade, poema de Karl Marx Valentim

By | 1.3.11 Deixe seu comentário
Quando escrevi “O Pingo”, inspirei-me no filtro d'água que encho todas as noites antes de dormir; é a preparação para o dia seguinte, considerando que acordo logo cedo para fazer o café.
Mas ao enviar ao amigo Karl Marx Valentim, este devolveu-o uma ressalva: “Um pingo serve de inspiração para a felicidade”. E os seguinte versos:

Rau Ferreira

Felicidade

Num conta-gotas espremido
Um pingo
Apenas uma gota caindo
Poucos corpos vão cobrindo
Uns percebem é perdido
Outros sentem, ficam sorrindo.com seus versos de “Felicidade”.


Karl Marx Valentin
E-mai: 24/07/2010, 12h45mim
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: