A Chefia Política de Elysio Sobreira

By | 8.2.11 Deixe seu comentário
Reportagem Especial

Com a emancipação do município de Esperança, o Coronel Elysio Sobreira, Comandante da Polícia do Estado, foi alçado pelo Dr. Solon de Lucena à condição de Chefe Político do novo município. Assim é que indicado pelo Partido Republicano foi aceito seu nome para este cargo tão importante.
Vindo então a esta cidade, recebeu diversas manifestações de carinho e solidariedade.
Um correspondente especial d’A União foi enviado a esta cidade para colher as impressões do seu povo. “Parecia-nos que naquele momento um sopro novo de energia vinha animando a vida esperancense. E todos confraternizados, faziam questão de estreitar cordialmente a figura varonil do novo chefe político deste município”, escreveu para o jornal em janeiro de 1926.
O Coronel Sobreira chegou a esta cidade às trezes horas, sendo recebido por uma girândola de fogos de artifícios, acompanhadas por vivas e aclamações. “(...) tudo denunciava o calor que se apoderava da alma deste povo, grande e heróico na sua dor, sublime e altivo na sua vitória”.
Severino Diniz apresentou-lhe os cumprimentos de boas vindas a quem agradeceu comovido o comandante. À noite, no paço do Conselho Municipal, a mocidade ofertou-lhe um baile que transcorreu na mais íntima cordialidade.
Em seguida ficou hospedado na vivenda do Sr. Manuel Rodrigues de Oliveira, onde a noite proporcionava um aspecto deslumbrante e encantador daquela vila.
Pela manhã foram os convivas foram surpreendidos com um telegrama do dr. Solon de Lucena, dirigido ao novo chefe político daquela comuna. À noite desse mesmo dia, na vivenda do Sr. Manuel Rodrigues de Oiveira,
A sociedade organizada compareceu para prestar-lhe as homenagens, destsacando-se a dos Empregados do Comércio e a do Círculo Operário São José. Fizeram uso da palavra nesta ocasião Theotônio Rocha e Bartholomeu de Barros, representando os comerciários, enquanto o pároco José Borges falou em nome da entidade religiosa. A essas saudações agradeceu Severino Diniz em nome do homenageado.
Em seguida, foram conduzidos ao “Ideal Cinema”, onde o povo esperancense ofertou-lhe um baile festivo. Disso nos dá conta o repórter, nos seguintes termos: “Ao transpor os umbrais daquela casa de diversões o Cel. Sobreira, foi alvo da mais significativa prova de consideração que lhe tributava a família esperancense. Foram aclamados os nomes dos drs. Solon de Lucena, João Suassuna, Carlos Pessoa e Cel. Elysio Sobreira, como inconfundíveis benfeitores da nossa causa.”
Uma nova salva de foguetões.ganhou o céu de Esperança, alongando-se pela madrugada a animadíssima dança.
Amanhecido o dia aparelhava-se o militar comandante quando é novamente surpreendido com a banda de música de Alagoinha e seu amigo Alfredo Moura, que “com palavras cheias de harmonia e encanto” brindava o visitante esperancense. Severino Diniz fez as honras e agradeceu os elogios.
À noite no “Ideal Cinema” houve nova danças oferecidas ao Cel. Sobreira. As famílias se congratularam com o honradíssimo chefe político, das quais destacavam-se a família Leitão, Cerqueira Rocha, Henriques [dr. João Henriques], Diniz, Rodrigues, Protázio, e muitas outras.
Por fim, depois de tanto alarde e confraternizações, partiu o comandante agradecido por todas as manifestações carinhosas devotadas a sua pessoa, às dez horas do sábado com destino à Capital, “deixando Esperança saudosa, num verdadeiro ambiente de paz, harmonia e solidariedade”.

Rau Ferreira

Fonte:
- Jornal “A União”, órgão oficial do governo da Paraíba. Quarta-feira, 27 de janeiro de 1926.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: