Noção planetária*, poema de Evaldo Brasil

By | 1.11.10 Deixe seu comentário
De esperança no mundo, cantando o que sempre quis:
Voz da graça, do novo, voz de um mundo feliz.
O que matou meu boi? O de João Marcolino
Boi dos meus carnavais quando eu era menino.

Um resgate cultural abre as portas do curral
Viva o meu Carnaval! Volta, oh boi genial!

As culturas do mundo são praquele que quer e diz
Faz da gente um só povo, faz do mundo um país!

Quem matou aos poetas? Aos saudosos Silvinos?
Quem daqui não empresta malogrados destinos?
A nação planetária sem noção panfletária
Tem nuance operária de nação solidária.

Evaldo Brasil

* Original de 16/07/1997
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: