Poetas e repentistas esperancenses

By | 3.10.10 Deixe seu comentário
Esperança é mesmo um celeiro de vocações, como apregoava José Torres. E a cada nova visitação encontramos novas referências a nossa vasta cultura. Destacamos aqui os principais poetas populares e repentistas conhecidos.
Consta que viveu em Esperança um mulato conhecido por João Benedito (1860-1943). Seus versos irreverentes mereceram estudo do folclorista Camara Cascudo, que lhe citou o mote: “O Homem e o Tempo”.
Igualmente natural destas paragens é o escritor e cordelista Egídio de Oliveira Lima (1904-1965), cuja obra - “Os Folhetos de Cordel” - faz parte do acervo da Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro.
Os mais conhecidos, porém, foram TOINHA e DEDÉ DA MULATINHA.
Os irmãos Antonio Patrício de Souza (Toinho) e José Patrício de Souza (Dedé), deixaram como legado uma vasta lista de cordeis, levando o nome de Esperança inclusive fora do Estado.
O próprio Toinho chegou a lançar um disco de emboladas, em parceria com Chico Sena no ano de xx. Enquanto Dedé percorreu o mundo vendendo os seus folhetos e se apresentando em praça pública.
Podemos citar ainda os irmãos Pichacos liderador por Pedro, que eram bons no improviso. E outros tantos que acorrem as nossas feiras semanais e que permanecem desconhecidos do grande público.
Por fim, na atualidade, temos o professor Evaldo Brasil que escreve os seus cordéis na internet fazendo uma atualização desta arte tão antiga. Se bem que poderíamos chamar de “cordenet”, por fugir a regra dos folhetos expostos em varal. Mas o fato é que Evaldo resgata a cultura cordelista dando-lhe atualização em uma mídia bastante concorrida e carente de cultura nordestina. Sua característica principal é o cordel de sete sétimas (49 versos).
E o casal performático Macambira e Querindina, protagonizado pelo ativista cultural Fernando Rocha e sua esposa a professora Marinalva Menezes, que fazem um amplo trabalho de divulgação do cordel e participam de eventos como o Flip Parati-RJ e projetos contra a corrupção e o voto limpo, além de promoverem o Festival de Literatura de Cordel em nossa cidade.

Rau Ferreira

Fonte:
  • CASCUDO, Luiz da Câmara. Vaqueiros e cantadores: folclore poético do sertão de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará Vol. 6. Ed. Globo: 1939, p. 153;
  • ALMEIDA, ÁTILA Augusto F. (de). SOBRINHO, José Alves. Dicionário bio-bibliográfico de repentistas e poetas de bancada, Volumes 1-2. Ed. universitária: 1978, p. 158;
  • Bibliografia CORDEL WIKI. Disponível em: http://pt-br.cordel.wikia.com, acesso em 19/08/2010;
  • LIMA, Egídio de Oliveira. Os folhetos de cordel. Ed. Universitária/UFPb: 1978.
  • I Festcordel - Festival Estudantil de Literatura de Cordel, promovido por Macambira & Querindina. Esperança/PB: dezembro de 2006;
  • Blog “Banabuyê 300”: http://evaldobrasil.blospot.com, acesso em 19/08/2010.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: