Pular para o conteúdo principal

Sabido, sábado, sabático (por Ana Débora Mascarenhas)

A pedagogia histórico crítica é um método pedagógico que favorece a aprendizagem a partir da problematização, é uma forma dialética de se trabalhar conteúdos. Saviani defende essa forma como sendo revolucionária e eficiente. Paulo Freire disse que a procura é o primeiro passo para a aprendizagem, pois não se pode aprender sem a curiosidade e o prazer da leitura. na Idade Média alguns pesquisadores tiravam um tempo para viajar, conhecer o mundo e registrar suas aventuras em livros didáticos, eram considerados anos sabáticos, sem o compromisso com nada se não pela descoberta das coisas.
No meu tempo de colégio não lembro de ter sábados letivos como ultimamente, mas tive um professor que via o mundo meio como Saviani e Freire, ele buscava instigar nos alunos o prazer de aprender, descobrir os conteúdos brincando. Em suas aulas as vezes organizava dinâmicas como uma sabatina. Era o melhor do dia, de uma lado ficavam as meninas, do outro os meninos e o professor Zezé no meio da sala orquestrando as perguntas, cada acerto era uma festa.
Daquela turma, mantenho amizades ainda com um tanto de gente, e a agora a pouco dias soube que um daqueles sabatinados, hoje é um menino sabido que foi eleito para a Academia de Letras de Campina Grande, lá na terrinha e vai ocupar a cadeira cujo patrono é outro esperancense, o poeta Silvino Olavo. Eita, Rau Ferreira, parabéns, manda ver.
E nas voltas que o mundo dá, tivemos sorte em ter pessoas tão talentosas como Zezé que nem sei se ainda vive, assim como outros professores que já praticavam a pedagogia da autonomia, da afetividade e histórico-crítica sem nem mesmo essas terem sido desenvolvida e disseminada. Eram dias sabáticos, mas não eram sábados, porém, todos sabidos.

Ana Débora Mascarenhas

Comentei, no blog da amiga:

Minha gente, sonhar nunca é demais e todos somos capazes. Evaldo é o grande artista e intelectual que sempre quis ser (inveja boa essa); Aninha a escritora que almejo ser (inveja melhor ainda).
Se inveja matasse, já teria morrido por esses dois!
kkkkk a vida é uma festa boa, com amigos de verdade.
Parabéns Ana Débora pela homenagem. Parabéns Evaldo, por reviver em mim o sonho de Silvino.

Banabuyé, 12 de Aparecida (sentindo-me ainda criança) de 2017.

Rau Ferreira


Comentários