Pular para o conteúdo principal

Esperança: Um município bem administrado (1945)

Esperança - Centro (1945)
A Revista Carioca “Vamos Ler” publicava em seu destaque o Município de Esperança, que em 1945 se apresentava com um dos mais bem administrados da Paraíba. O gestor Sebastião Vital Duarte reassumia a prefeitura em 1944, após administrar a cidade de 1940 à 1942.
Esperança ainda abrangia o povoado de Montadas, tendo como único distrito Ariús (Areial). A população da sede era estimada em 13.887 habitantes.
Produzia batatinha, feijão, milho, algodão e agave. Possuía um Grupo Escolar, o “Irineu Jóffily”, inaugurado em 1932; um posto de saúde e uma Cooperativa de Crédito e Beneficiamento. Já naquela época, estavam previstas a construção de um ginásio e uma maternidade, empreendimentos estes que se tornariam realidade pelas mãos de Dom Palmeira quase duas décadas depois.
Foi uma das mais profícuas administrações, apesar da interventoria, trabalhando em prol dos cidadãos esperancenses. Com projetos arrojados, alargou ruas, trouxe o sistema de abastecimento de luz através da Cia. Distribuidora do Brejo Paraibano – CODEBRO e fundou o extinto “Esperança Club”.
Em parceria com o Estado, construiu o reservatório “16 de Agosto”, que ficou conhecido como “Tanque do Governo”, no final da rua Manuel Henriques.
Na opinião do folhetim:
“A cidade tem uma fisionomia envolvente, apresentando-se geralmente limpa, com as suas praças e ruas bem cuidadas. É que o seu atual governo trabalha visando invariavelmente o progresso do Município.
Não se veem, ali, problemas em abandono.
Assim administrado, é claro que Esperança tende a desenvolver-se e prosperar, melhorando e fortalecendo a sua economia. E rasgando novas perspectivas para o futuro.
Sebastião Duarte ainda promoveu diversas iniciativas que colocaram a cidade no rumo certo. Á época o município possuía um orçamento de 130 contos e 18 mil habitantes.
Em 1945, o Município participou da campanha do “ferro velho” para angariar fundos após ingressar o Brasil na 2ª Guerra Munidial.
Esta postagem só foi possível graças ao envio do material que serviu de base para a sua escrita, através do ilustre amigo e escritor Quiel Tatagassú, a quem agradecemos a colaboração.

Rau Ferreira

Referências:
- A NOITE ILUSTRADA, Jornal. Edição de 12 de dezembro. Rio de Janeiro/RJ: 1941.
- ESPERANÇA 82 ANOS, Revista. JB Assessoria e Comunicação. Esperança/PB: 2007.
- ESPERANÇA, Livro do Município de. Ed. Unigraf. Esperança/PB: 1985.

- VAMOS LER, Revista. Edição de 24 de maio. Rio de Janeiro/RJ: 1945.

Comentários