Nota científica

By | 4.6.16 Deixe seu comentário
Muitos reservatórios do nordeste brasileiro são alcalinos, com grande concentração de sal. Em alguns, a fotossíntese reage com a alcalinidade propiciando o surgimento de algas nas seguintes espécies: Brachionus, Filina e Pedalia. Esses espécimes podem ser encontrados em inúmeras localidades, dentre elas destaca-se o "Açude Esperança".
Na época o estudo foi promovido Albert H. Ahlstron e publicado nos Anais da Academia Brasileira de Ciência (Tomo X, Nº 01: Rio, 1938).
O município era uma "pequena vila" e o açude pelo que podemos supor era o Banabuyé. As algas foram identificadas em 1910, 1911 e 1932.
O Banabuyé foi o principal reservatório de água da cidade, fornecendo o líquido precioso para matar a sede dos esperancenses desde o início do seu povoamento. No passado, existia até a profissão de “entregador de água”, pessoas que em lombos de burro ou carroça faziam a entrega de água de gasto nas residências das pessoas importantes. O local também servia para as lavadeiras e havia até quem tomasse banho no manancial, separados homens das mulheres.
Nos anos 70, as águas serviram para os trabalhos da BR-104 (Anel do Brejo) e, nos anos 80, o açude estava praticamente sem uso, com inúmeras plantas em seu espelho d’água.


Rau Ferreira
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: