Debaixo da castanhola, poema de Rau Ferreira

By | 9.4.15 Deixe seu comentário
Nos meus tempos de menino,
Sob este arboredo, roubei-lhe o primeiro beijo!
Não foi assim um beijo tão profundo,
Mas foi o beijo melhor do mundo
O beijo que eu dei nela.

E ela inocente se escondeu
Foi sim, um beijo de novela
Eu e ela - o beijo - ela e eu,
Com tudo o que no amor rola
Num instante aconteceu...
Debaixo daquela castanhola!

E os pardais (assim agitados)
Sobrevoavam a pracinha
formando dois arcos,
Dois círculos concêntricos...
Prá dizer que era minha
Quem estava nos meus braços.

Depois o tempo passou
A menina em mulher se tornou
E dessa terra foi embora;
A praça, alguém reformou...
Tudo então se acabou, inclusive a castanhola.


Rau Ferreira
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: