Esperança: Censo Rural de 1920

By | 18.2.15 Deixe seu comentário
Nos anos 20 o Brasil realizou um grande censo rural. Foram recenseados na Parahyba 18.387 estabelecimentos rurais, distribuídos nos seus 39 municípios. Esperança aparecia ainda como um distrito de Alagoa Nova.
Por óbvio, naquela época ainda não havia acontecida a nossa emancipação política, razão pelo qual alguns sítios que aparecem nesta relação não mais pertencem a Alagoa Nova. Há de se considerar que, sendo propriedades rurais, as suas denominações em geral assumiam o nome dado pelos seus donos, os quais, ao longo da história, podem sofrer alterações.
Dentre os principais proprietários rurais, destacamos: Antonio Inácio da Silva (Boa Vista); João de Melo (Riachão); João Gomes de Lima (São Miguel); Joaquim Antonio Colaço (Beatriz); Faustino José de Almeida (Camucá); José Luiz Andrade (Cajueiro); Joaquim Venâncio e Antonio Bezerra (Caldeirão); Francisco Antonio da Silva (Riacho Fundo); Joaquim F. Chagas (Junco); João Nogueira dos Santos (Zé Lopes); Mariana de Jesus do Amor Divino e Manoel Rodrigues de Melo (Araçá); José Vicente (Punaré); Joaquim Pereira da Costa (Lagoa Verde); Bento Olympio Torres (Riacho Amarelo); Manoel Luiz de França (Lagoinha das Pedras); Faustino Roque (Cruz Queimada); João Cazuza e Firmino Pedro (Timbaúba).
A seguir, a relação das principais localidades a seu tempo: Boa Vista, Riachão, São Miguel, Beatriz, Camucá, Cajueiro, Caldeirão, Ribeiro, Riacho Fundo, Junco, Araçagy, Zé Lopes, Araçá, Punaré, Lagoa Verde, Mulatinha, Pintado, Lages, Riacho Amarelo, Lagoinha das Pedras; Gravatazinho, Lagoa do Cavavallo, Cruz Queimada e Timbaúba.

Rau Ferreira*


Referência:

- BRAZIL, Recenseamento do. Relação dos proprietários dos estabelecimentos ruraes recenseados no Estado da Parahyba. Min. da Agricultura, Ind. e Comércio. Diretoria Geral de Estatística. Typ. da Estatística. Rio de Janeiro/RJ: 1926.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: