Titico Celestino

By | 3.1.15 Deixe seu comentário


B
atizado Francisco Celestino da Silva, e carinhosamente conhecido por “Titico”, filho do casal Ana Maria e Joaquim, nascido aos 18 dias de novembro de 1905, demonstrou desde cedo vocação para a música.
Aos cinco anos aprendeu a tocar vendo o pai consertar instrumentos musicais: sanfona, violino e violão. E até o “buzinofone”, de sua criação. Mas foi o padre José Borges quem lhe ensinou o bê-a-bá.
Foi o eterno seresteiro do “Lírio de Ouro”, e juntamente com a Sra. Hilda Batista, integrou a Escola Cantório Sagrado Coração.
Dirigiu o coro da Matriz e compôs sambas e valsas.
Com 13 de idade construiu um carro de madeira, e após um acidente no então distrito de Areial, transformou um Chevrolet 1928 em camioneta.
Foi um dos fundadores do antigo “Esperança Clube” e do “Centro Social Lítero-Recreatiro”, que mais tarde deu origem ao Centro Artístico Operário Beneficiente de Esperança - C.A.O.B.E.
Na política, foi vice-prefeito na gestão de Joaquim Virgolino da Silva (1955-1959).
Era viúvo da senhora Juliana Taveira, carinhosamente denominada de “A mãe da pobreza”, com quem teve duas filhas: Inacinha e Terezinha, e dois filhos verãos de nome Marcos e Francisco.
Autodidata. Foi carpinteiro, marceneiro, pintor, eletricista, mecânico, ourives e relojoeiro.
Deixou saudades no verão de 1994, mais precisamente no mês de janeiro. Desde então tem sido tributado.

Rau Ferreira

Fonte:
- Revista Esperança 82 anos, novembro de 2007. Editor: Jacinto Barbosa.

- Revista da Esperança, Ano I – Nº. IV. Editor Evaldo Brasil. Esperança/PB.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: