Simplicidade poética

By | 3.1.15 Deixe seu comentário
A grandeza dos versos não está em sua complexidade, com palavras de dicionário. Em minha opinião, a genialidade se mostra em versos simples que dizem tudo em poucas palavras.
Assim é a poesia de João Benedito. Senão vejamos:

“Menino, nunca achei
Forte que não destruísse
Peso que não erguesse
Perigo que não investisse
Cantador nunca encontrei
Que uma hora me resistisse”.

Nos versos atribuídos ao repentista encontramos os temas: passado/presente (tempo); cantador/cantoria; trabalho/natureza etc. que estão presentes em outras poesias.
A evocação “Menino” nos chama a atenção para o fato de que o ouvinte ainda é NOVO, em contraposição ao cantador que já seria um ANCIÃO. Na segunda estrofe temos o vocábulo FORTE, e adiante QUE NÃO DESTRUISSE. Denota a capacidade para o labor, diga-se de passagem, um trabalho braçal. Mas também a sua coragem, enfatizada na frase PERIGO QUE NÃO INVESTISSE.
Quando o autor exclama CANTADOR NUNCA ENCONTREI, explicita que já andou meio-mundo e que no repente conheceu outros igualmente valorosos. Todavia, consoante confessa, nenhum fora capaz de lhe resistir uma hora. É certo que no desafio não há vencedor nem vencido, a arte é superior a essa condição. Apenas o ouvinte, por razões meramente particulares, prefere um e não o outro cantador, porém gosto não se discute.
João Benedito foi um dos precursores da cantoria e deixou-nos um importante legado, que preservamos em um livro cuja segunda edição está para vir a lime com uma série de versos inéditos.


Rau Ferreira
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: