Antônio de Pádua Torres

By | 4.1.15 Deixe seu comentário
Antônio de Pádua Torres
Dr. Antônio de Pádua Tôrres. Primeiro esperancense a ocupar o mais alto posto do Ministério Público Estadual, com assento na Câmara Criminal.
Filho do agente fiscal Severino de Alcântara Torres e de D. Corina Coêlho, nascido no dia 15 de março de 1943, e casado com a Sra. Maria José de Melo e Torres (Marizé), com quem teve três filhos: Caroline, sua primogênita, que é funcionária da Advocacia Geral da União, com atuação em Brasília, além de Felipe Augusto e Larissa, que seguiram igualmente a carreira jurídica.
Aluno dedicado, ele recorda que nos tempos da “palmatória”, da saudosa professora D. Hozana, deu muitas bordoadas nos colegas de turma, quando se tomava a lição de casa.
Enfrentou muitas dificuldades durante sua formação universitária, tendo que conciliar trabalho e estudos. Foi funcionário da concessionária da Chevrollet em nossa cidade, que funcionava na antiga Rua do Sertão (Dr. Solon de Lucena), antes de ser funcionário da Prefeitura Municipal, como Secretário de Administração, cargo esse que exerceu por vários anos, iniciando suas atividades funcionais, na condição de Secretário, na primeira gestão de Luiz Martins. Foi Adjunto de Promotor, ainda quando era estudante de direito.
Como Promotor Público, atuou nas comarcas de Malta, Alagoa Nova, Princesa Isabel e Monteiro.
Com enorme inclinação para a tribuna, foi titular da 1ª Promotoria do Júri da Capital e da 1ª Promotoria do Júri de Campina Grande.
Exerceu ainda os cargos de Coordenador do Núcleo Regional e Vice-Presidente da APMP, em Campina Grande, coordenador da CAIMP e Corregedor do Ministério Público, sendo ainda titular da cadeira de Direito Processual Penal da Universidade Estadual da Paraíba, e membro da Escola Superior do Ministério Público.
Atualmente é Procurador de Justiça, e membro do Conselho Superior do Ministério Público (para o qual foi eleito com 116 votos).
Em 2003, conclamado pelos colegas, candidatou-se ao cargo de Procurador-Geral de Justiça, obtendo o 4o lugar das intenções de voto.
Defensor incansável do direito e da sociedade, em seu discurso de posse como Procurador fez questão de frisar: “Estou aqui para jamais esquecer que fui Promotor de Justiça”.

Atividades no Ministério Público: Adjunto da Promotoria de Esperança (1975/1979); Promotor de Justiça Substituto de Alagoa Nova (1977/1979); Promotor Titular nas Comarcas de: Malta/PB (1979), Alagoa Nova/PB (1981), Princesa Isabel/PB (1982), Monteiro/PB (1982), 1ª Promotoria Criminal de João Pessoa/PB (1986), 1ª Promotoria Cível de Campina Grande, 2ª Promotoria Criminal de Campina Grande/PB (1982), 1ª Promotoria Criminal de Campina Grande/PB (1986); Procurador de Justiça (2002); Coordenador da Promotoria Criminal, em Campina Grande (2001); Coordenador da CAIMP, em Campina Grande (2001); Corregedor-Geral do Ministério Público (2005/2006); Presidente da Comissão Eleitoral para eleição do cargo de Procurador-Geral de Justiça (2005).
Dados Complementares: Coordenador de Núcleo Regional da APMP, em Campina Grande. Vice-Presidente da APMP, por duas vezes; Chefe do Departamento de Direito da URNe, em Campina Grande; Superintendente Regional da Polícia Civil, em Campina Grande; Integrante da Câmara Recursal Criminal de Campina Grande; Integrante da Comissão de concurso para provimento dos cargos de serventias estatizadas, do Tribunal de Justiça; Professor da cadeira de Direito Processual Penal da FESMIP; Professor titular da cadeira de Direito Processual Penal da UFPB

Rau Ferreira

Referência:
- Foldes das Eleições para o cargo de Procurador-Chefe do Ministério Público Estadual - 100% Ministério Público, 2003;

- Site MPPB, ex-Corregedores.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: