Homilia de Monsenhor Palmeira

By | 31.12.14 Deixe seu comentário
Transcrevemos para os nossos leitores a homilia de Monsenhor Manuel Palmeira da Rocha na celebração de 30 de março de 1996, na cidade de Pesqueira/PE, disponível no vídeo hospedado no youtube e divulgado pelo site tudopb.com editado por Braz Araújo.
Sentado em frente ao altar, o bispo admoesta os fieis sobre o tempo quaresmal e a violência estampada na TV contra crianças e idosos. Eis a sua exortação:

Todos nós sabemos que estamos acompanhando o tempo santo da quaresma, não somente para continuar o costume dos anos que se passaram, não é somente isto, de maneira alguma, mas é a preocupação maternal da igreja (....). Ainda no seio materno a mãe ajuda o seu filhinho a se preparar para a vida e quando ele nasceu é sacramentado este dom vai crescendo, quando ele toma consciência ele vai cuidado é o que a igreja faz quando celebra durante o ano tantas vezes este preparação (...). Todos os dias na televisão a violência de crianças morrendo de fome, mortandade dos inocentes, velhinhos desprezados, esquecidos e humilhados, sofrendo a crueldade da ingratidão e o desprezo, muitas vezes dos próprios filhos e alguns dizendo ‘porque não morre, só pra dar trabalho a gente e dar despesas’ (...). O pessoal que vem de Esperança, receba o meu agradecimento muito sincero, muito profundo, meu abraço a todos, dessa vez não deu vos receber lá em casa, motivo de saúde, mas fica para outra vez, agradeço, é a quinta visita vez este ano, fico muito agradecido. Quero que celebrar as bênçãos de Deus para vocês e suas famílias e para o povo de Esperança [palmas].

Não podemos deixar de registrar, ainda observando as imagens, no final da celebração quando o Monsenhor Palmeira se dirige a sacristia, o seu trajar de homem santo, de um missionário religioso que se dedicou a viver pela fé e para a fé; e no semblante, a alegria de receber os esperancenses naquela data festiva.
A seu respeito, nos dá testemunho o Padre Zé Coutinho – patriarca da ação social na Parahyba – em carta de 27 de novembro de 1972, quando seria prestada uma homenagem a Monsenhor Palmeira na cidade de Esperança:

“Tudo que se fizer por você é muito pouco, porque você é extraordinariamente caridoso, falemos em termos mais claros, verdadeiro Santo, que praticou totalmente o Evangelho, passando a vida inteira fazendo o bem”.

Monsenhor Palmeira assumiu a nossa paróquia em 25 de março de 1951, permanecendo até julho de 1980. Em 1963, recebeu o título de cidadão esperancense, por seus inúmeros serviços prestados a nossa comunidade. Foi sem sombra de dúvidas o maior benfeitor de Esperança.

Rau Ferreira

Referência:
- TUDOPB.COM, site. Braz Araújo, editor. Post de 13/04/2012. Disponível em: http://www.tudopb.com/

- PARAÍBA, Jornal da. O exemplo de Padre Zé, texto de Rubens Nóbrega. Domingo, 24 de julho de 2011.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: