A instalação do termo judiciário de Esperança

By | 11.12.14 Deixe seu comentário
Durante o governo de João Pessoa algumas unidades judiciários e adjascências foram suprimidas. Assim ocorreu com o termo judiciário de Esperança, que desapareceu em abril de 1929 por força do Decreto n. 1.572.
Contudo, este foro foi restabelecido no dia 19 de novembro de 1929, “ad referendum” da Assembléia Legislativa, através do Decreto n. 1.608 e da Lei n. 681.
A instalação solene ocorreu no dia 25 de novembro daquele ano, às 13 horas da tarde, tomando posse na oportunidade o Juiz Municipal Orlando Tejo e o Adjunto de Promotor Theotônio Cerqueira Rocha, na presença do Cel. Ernani Lauritzen, de autoridades e comerciantes municipais.
O prefeito Theotônio Tertuliano da Costa e os nomeados comunicaram o ocorrido por telegramas, que foram publicadas no órgão oficial do Estado, demonstrado total solidariedade e prestimosa satisfaçao com o ato governamental.
As honrarias foram extensivas ao Tenente Coronel Elysio Sobreira, chefe político de Esperança, a quem foi endereçado um telegrama em nome dos diversos cidadãos, entre os quais se destacam os nomes de Manuel Rodrigues de Oliveira, Severino Diniz, José Andrade de Melo, José Souto e Francisco Bezerra.
Este clima de festa sucedeu durante todo o dia, seguido-se de homenagens ao Chefe do Estado e sendo-lhe concedida a cidadania esperancense, por iniciativa do Presidente do Conselho Muncipal.

Rau Ferreira

Fonte:
-         Jornal “A União”, órgão Oficial do Governo do Estado: Terça-feira, 06/08/1929;
-         Jornal “A União”, órgão oficial do Governo do Estado: Terça-feira, 19/11/1929;

-         Jornal “A União”, Órgão Oficial do Governo do Estado: Terça-feira, 26/11/1929.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: