Esperança: Patrimônio Ecológico

By | 31.5.14 Deixe seu comentário
A cidade de Esperança, no agreste paraibano, possui inúmeras riquezas naturais; um patrimônio ainda inexplorado e que merece nossa especial atenção.
Listamos aqui os principais sítios ecológicos: o “Cruzeiro” de Lagoa de Pedra, com suas inscrições rupestres e orquídeas raras; os “Caldeirões” e sua “Itacoatiara”; e o “Serrote dos Cocos”. O problema é que esses tais terrenos pertencem a agricultores e portanto são propriedades privadas, fechadas à visitação.
Em Lagoa de Pedra, distante cerca de 5 km da sede do município, existem um painel medindo 1,28 x 1,29 cm com formas esquemáticas de possíveis zoomorfos e um tanque onde havia fósseis pleistocênicos. E as orquídeas que florescem na sexta-feira da paixão dão o tom místico ao local.
Nos “Caldeirões”, um local privilegiado pela natureza, encontram-se gravuras sob a técnica da meia-cana que se assemelham as da Pedra do Ingá, além de uma cachoeira e um riacho afluente do Rio Mamanguape.
O “Serrote dos Cocos” mantém preservada a mata nativa da região e abriga diversos animais da nossa flora, como mocós, cascavéis, tatús, preás, tiguaçus, camaleões, inhambus e rolinhas. Há cerca de 15 Km da cidade e com uma altura aproximada de 635 metros ao nível do mar é um dos pontos mais altos do município.
Para o implemento de uma rota de agro-turismo seria preciso fazer um mapeamento dessas áreas e outras que ainda permanecem desconhecidas do grande público; a exemplo dos sítios “Pintado” e “Pedra Pintada” onde foram encontradas pela Emater (1993) penelas de barro e grandes ossadas.
No próprio centro da cidade encontramos evidências indígenas e pré-históricas. Citemos o “Tanque do Araçá”, antiga morada dos Índios Banabuyês; o “Morro do Urubu”, no bairro Britador; e a rua José Andrade, onde escavações em uma garagem descobriram ossadas de uma preguiça gigante (Eremotrerium Laurilardi) em 1997.
Após registro e catalogação, atividades de passeio e exploração poderiam ser conduzidas por professoras da rede pública contando um pouco da nossa história e dando ênfase a necessidade de preservação deste patrimônio.
Haveria a necessidade de se constutir trilhas ecológicas na região, e formação de um calendário de eventos culturais que atraia turistas, com visitação às comunidades de Riacho Fundo – terra da “Boneca Esperança” – Massbielle com o seu artesanato em sisal.


Rau Ferreira
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: