Pular para o conteúdo principal

A importância de SOL

Muitos esperancenses desconhecem a figura do poeta Silvino Olavo Cândido Martins da Costa; pouco ou quase nada se ouve falar dele nas escolas. Não existe um monumento sequer em sua homenagem, salvo a placa alusiva ao centenário aposta na Praça da Cultura. Mas quem era esse tal Silvino?
Formado em Direito pela Faculdade do Rio de Janeiro é o autor de “Estética do Direito” (1924), seu trabalho de conclusão de curso. E também “Cysnes” (1924) e “Sombra Iluminada” (1927). São ainda de sua autoria o estudo literário “Cordialidade” (1927), que chegou a ser traduzido para a língua inglesa e “Badiva” (1997), que é uma obra póstuma e reúne diversos poemas inéditos.
Atuou como jornalista e colaborou com diversos períodicos, como “O Jornal” e “A União”, órgão oficial do Estado da Paraíba. Além disso, escreveu para a revistas “Nova Era” e a folha “A Província”, do Rio de Janeiro.
Era um grande orador, tanto que durante seus estudos no Colégio Pio X, em João Pessoa, foi convidado diversas vezes para falar em nome da turma e ainda eleito orador oficial do seu curso. Em em 1925, proferiu seu importante discurso “Esperança – Lírio Verde da Borborema”, que foi um marco na emancipação de Esperança.
Trabalhou nos Correios, foi Agente Fiscal de Consumo e Chefe de Gabinete do Governo João Pessoa.
Para muitos o autêntico representante do Simbolismo na Paraíba, corrente literária do Século XIX.
Várias são as obras literárias que fazem menção a sua importância, dentre elas destacamos: “Antologia da Paraíba, séculos: XVII, XVIII, XIX e XX: 1. parte: poesia, 2. parte: prosa”, de Luiz Pinto; Editora Minerva, 1951; “Revista de língua portuguesa, Volume 9”, Edição 51, União Editora, 1928; “Maiores e menores”, de João Lelis, Editora Teone, 1953; e o bibiográfico “A Vida Dramática de Silvino Olavo”, escrito por João de Deus Maurício, Ed. Unigraf, 1992.
No detalhe da foto, Silvino Olavo aos 55 anos de idade.

Rau Ferreira

Fonte:
- Pequena Biografia do Poeta Silvino Olavo, por Roberto Cardoso - Jornalista. Cisnes/ Sombra Iluminada – 2a Edição, 1985 – p. 3/5;
- A vida dramática de Silvino Olavo, autoria de João de Deus Maurício, João Pessoa/PB, Unigraf, 1992;
- Badiva: poesias inéditas de Silvino Olavo, Marinaldo Francisco de Oliveira (Org.), Espeança/PB, Secretaria Municipal de Educação e Cultura, 1997 - p. 26/28.

Comentários

  1. olá, Rau... aqui é joselito se lembra!!!!!!vc esta de parabens pelo seu belissimo blog, é isto ai! tambem ouvi sua entrevista no programa de joseilton berlamino, eu e minha familia lhe parabeniza pelo seu interesse por nossa cidade e a cultura esperansence. valeu historeador do lirio verde da borborema....

    de: joselito Alves dos Santos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário! A sua participação é muito importante para a construção de nossa história.