Pular para o conteúdo principal

Grandes oradores


Alguém já disse que Esperança era um celeiro de intelectuais. E não são poucos os nomes que se destacam nesse cenário.
Num mesmo contexto, destacamos três personalidades locais que tinham o dom da oratória.
O primeiro, dispensa qualquer comentário. O seu discurso "Esperança - Lírio Verde da Borborema" (1925), foi o estopim da nossa emancipação política. Estamos falando do poeta esperancense Silvino Olavo da Costa.
O segundo,  foi um importante político e agente fiscal. Disputou várias eleições ao som de "Bandeira Branca", e liderou por muito tempo a grande legião de "amuados": José (Zeca) Torres. Cumpre destacar que ele foi o orador oficial da 1ª Turma do Ginásio Diocesano de Esperança em 1961.
O terceiro, e não menos importante, é o nosso querido Severino Ramos Pereira. Político, ex-Prefeito (1980-1982), professor e odontólogo. Além de orador era um profundo conhecedor da nossa história, e possuia uma eloquência sem par. A cidade parava para ouvir "Nino Pereira"; e ninguém se cansava.
Ouvi-lo falar era assistir uma aula de retórica. Sua postura e entonação de voz dava inveja aos mais honoráveis tribunos.
Infelizmente, deles só nos restou a saudade pois já se encontram no plano superior, razão pela qual prestamos esta singela homenagem.

                                          Rau Ferreira

Comentários

  1. Grandes oradores. Concordo. Assino embaixo. Homenagem justo. Uma preocupação recente do nobre colega é a fonte da informação. Quem ou em que se afirma que o discurso de Silvino tenha sido o "estopim da emancipação"? Espero que sim. Mas, tenho, de memória, que o discurso teria sido apresentado na vinda de Suassuna para anunciar a criação do município, em dezembro de 25. Vamos rever ou confirmar!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário! A sua participação é muito importante para a construção de nossa história.