Pular para o conteúdo principal

Entrevista: Magna Celi

A poesia é a arte de falar aos corações. E ninguém que eu conheça consegue traduzir tão bem essas emoções como Magna Celi de Souza.
Desde a sua estréia em 1982 com “Caminhos e Descaminhos”, têm inscrito o seu nome entre os grandes nomes da poesia paraibana.
Esta esperancense que tanto nos orgulha é filha do saudoso casal José Meira Barbosa e Maria Duarte Meira.
Graduada em Letras [1] e filosofia pela UFPB, Mestra em Literatura Brasileira, ensinou durante 21 anos no Curso de Letras da Universidade Federal, e por dez anos na antiga Escola Técnica Federal, atuando ainda em diversos colégios da capital.
Atualmente escreve artigos e ensaios para revistas literárias, sendo muito solicitada para conceder palestras sobre literatura.
Casada com o eminente professor Francelino Soares de Souza, e mãe de cinco filhos, ela ainda encontra tempo para atuar junto a Ordem Rosacruz e psicografar livros. Seus principais hobbies são: a leitura, o piano e o bordado.
                      Entre as suas publicações, as de maior destaque são:

                       Poesias:

                     - Caminhos e Descaminhos - João Pessoa/PB, 1982;
                     - Sangue e Luz – João Pessoa/PB, 1985;
                     - Passeio no Varal – Ed. FUNESC, João Pessoa/PB, 1990;
                     - Poemas Místicos – Ed. Idéia, João Pessoa/PB, 2004.

                      Pesquisa:
                      - Misticismo e Fanatismo na Literatura de Cordel, Editado pela UFPB.

                     Psicografados:
                     - Jornada dos Pensamentos;
                     - Reflexões da Vida e do Amor.

[1] Com habilitação em língua vernácula e inglesa.

                     Rau Ferreira

Fonte:
- Dados e poesias fornecidas pela própria autora e enviados por e-mail ao administrador deste blog, em 03/08/2009.

Comentários