Passagem, poema de Magna Celi.

By | 1.10.09 Deixe seu comentário
Minha vida é um rio caudaloso, meus sonhos e anseios a sua foz.
Minha sombra repousa no leito do rio.
Meu cérebro está ativo no centro dele.
Um dia, enlodoaram minhas águas
límpidas e claras como a neve.
Endureci.
Mas súbito, banhei-me na paz da rosa
silenciosa, cheirosa.
E renasci com cem olhos.

Magna Celi

Fonte:
- Poemas Misticos: Magna Celi; Ed. Idéia, João Pessoa, 2004 – p. 72.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Postar um comentário