Percepção, poema de Magna Celi.

By | 2.9.09 Deixe seu comentário

Aprendi a sentir
o aroma da rosa,
o esplendor de um jardim,
a divisar o marfim
dos dentes dos elefantes;
a perceber o cricrilar dos grilos
e esquecer os grilos
do di-a-dia;
subtituindo a tormenta
pela aspersão do incenso.
Aprendi a querer
dominar o meu corpo,
meus sentidos, meu ser,
minha respiração.
Aprendi a me zelar
e me ver num abraço estelar,
no sono profundo;
aprendi a ver, no mundo,
as coisas minúsculas:
os pingos de chuva,
a fagulha dos seixos pequenos,
o azul das ondas serenas;
a formiga em sua caminhada,
a abelha tão profícua,
a centelha de um olhar infantil.
Aprendi a ver, na pequenez das coisas,
a grandeza de Deus.

Magna Celi de Souza

Fonte:
- Poema extraído do livro "Passeio no Varal", de Magna Celi de Souza - Ed. FUNESC, 1990.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Postar um comentário